4 Pilares fundamentais sobre Gestão Condominial

4 pilares sobre gestão condominial

A gestão condominial pode até ser comparado a administrar uma pequena empresa, ou até mesmo uma média empresa, mas isso dependendo do tamanho do empreendimento.

A boa notícia é que existem tipos de gestão que podem facilitar essa administração.

Esse artigo reúne informações objetivas para você entender como é feita uma gestão condominial.

Habilidades para Gestão Condominial

Para administrar um condomínio é importante ter paciência para fazer escolhas certas.

Saber lidar com as áreas administrativas, contábeis, trabalhistas, jurídicas, e ainda ter habilidade para mediar os conflitos.

O síndico pode optar por fazer tudo isso sozinho, no entanto há opções de ser assistido por um conselho fiscal, por profissionais, ou por empresas especializadas em administração de condomínios.

E como saber qual opção escolher?

Cada condomínio possui suas particularidades e o ideal é avaliar qual a melhor tipo de gestão de acordo com o contexto atual.

Para isso, você pode observar algumas variáveis, como por exemplo:

  • O tamanho do condomínio;
  • A quantidade de moradores;
  • O conhecimento e experiência do síndico;
  • O fluxo de caixa, entre outras questões.

Para facilitar essas e outras dúvidas, preparamos abaixo respostas vamos responder as dúvidas sobre os 4 pilares fundamentais sobre gestão condominial:

Quais são os principais tipos de gestão condominial?

Como é feita a gestão condominial?

Quais as funções de uma administradora de condomínio?

Quais são as funções do síndico?

Vamos lá…

1 Quais são os principais tipos de gestão condominial?

tipos de gestão de condominios

Conhecer mais sobre os tipos de gestão facilita a escolha do melhor modelo para o seu condomínio. Esses são os modelos mais adotados:

Autogestão:

A autogestão ocorre quando o síndico toma a decisão em conjunto com os condôminos, onde ele vai se responsabilizar pela gestão de todo o condomínio.

Ele também pode optar por uma autogestão assistida.

Asssim sendo pode contar com o auxílio do conselho fiscal do condomínio ou de profissionais de outras áreas para ajudar em questões específicas pontuais.

Ao optar pela autogestão, o síndico precisa estar ciente que vai dedicar grande parte do seu tempo para a função, portanto deve ser uma pessoa bastante organizada e responsável.

Isso porque ficará encarregado de funções como contratação de funcionários, prestação de contas, orçamentos, administração.

Além das atividades diárias do prédio e do atendimento aos moradores.

Co-gestão:

Acontece quando a gestão é feita pelo síndico, entretanto ele conta com a assistência de alguma empresa contratada terceirizada, como por exemplo um escritório de contabilidade ou uma administradora condominial.

A empresa contratada gerencia somente uma parte da gestão, mas o sindico continua cuidando da administração.

Gestão Terceirizada do Condomínio:

É um tipo de contratação em que o sindico e o conselho fiscal optam por terceirizar.

Contratar um terceiro para realizar a administração completa do condomínio.

Nesse caso, pode-se optar por uma administradora de condomínios ou até mesmo um síndico profissional.

Gestão com Administradora de Condomínios:

O condomínio opta por contratar uma empresa de qualidade e reputação.

A Administradora irá ser responsável por toda a parte burocrática e financeira, pela contabilidade, pelos recursos humanos, entre outras funções.

2 Como é feita a Gestão condominial?

como é feita a gestão condominial
Existe a gestão para os prédios residenciais e para os prédios comerciais.

A administração de prédios comerciais segue a mesma legislação de prédios residenciais.

É importante atentar para as especificidades de cada gestão e as diferenças nos serviços prestados.

Gestão Coorporativa

Aqui a gestão do condomínio é vista de forma profissional, a eficiência e as finanças são muito importantes.

Imagine um prédio com alta circulação de pessoas com o elevador parado por mais de sete dias ou até mesmo um turno do dia sem segurança?

Quais os riscos as pessoas que circulam ali correm? Como os profissionais que exercem seus trabalhos nesse prédio tem seu fluxo de clientes e horários afetado?

Na gestão coorporativa, atente-se bastante aos seguintes pontos:

  • Ambiente seguro: investir em um método de vigilância eficiente, com sistemas de segurança de qualidade e capazes de lidar com o grande fluxo de circulação de pessoas diário.
  • Contrate funcionários treinados e capacitados para a função de segurança.
  • Ambiente limpo: com a grande quantidade de pessoas que circulam no ambiente comercial, ter um controle diário sobre a frequência da limpeza é fundamental para maior eficiência.
  • Tecnologia e automatização: garantir maior velocidade no transito de pessoas, melhorar a identificação com segurança, usar de tecnologias atuais, catracas eletrônicas, sistemas de automação…

Na gestão de condomínios residenciais, é importante atentar-se seguintes pontos:

Quando falamos no ambiente da nossa casa ou apartamento, a rotina se altera do ambiente coorporativo e o sindico deve verificar outras especificidades…

  • Satisfação dos moradores: além de garantir o cumprimento do regimento interno, é importante que os moradores se sintam satisfeitos com a condução da gestão do condomínio e que tenham facilidade de comunicar suas necessidades;
  • Atenuação de conflitos: infelizmente os conflitos são parte presente de alguns momentos ao longo da gestão do condomínio, cabe ao sindico ser imparcial e resolver os conflitos da melhor maneira possível, bem como agir de modo profissional;
  • Reparos e obras de construção civil: obras são necessárias em todos os prédios e casas em algum momento, seja por reparo ou por ampliação. É dever do gestor do condomínio permitir e supervisionar. Para isso, os moradores devem também comunicar aos síndicos sobre as obras individuais de seus apartamentos.
  • Manutenção dos ambientes coletivos: por ser uma área muito frequentada por todas as pessoas do prédio, requer atenção maior para evitar conflitos. A manutenção diária dessas áreas é bastante importante.

3 Quais as funções da administradora de condomínio?

funções da adminstradora de condominios

É pratica muito comum no Brasil a gestão do condomínio contar com a assistência de uma empresa conhecida como “administradora de condomínio”.

Muitas vezes, essa empresa pode executar também toda a gestão do condomínio e até exercer as funções de síndico.

Algumas pessoas ainda têm dúvidas quanto ao papel dessas empresas.

No entanto ainda mais importante do que saber as funções que elas exercem, é encontrar uma empresa de confiança para não cair em ciladas.

Confira alguns itens que uma administradora de condomínios pode auxiliar na gestão:

  • Planejamento e previsão orçamentária;
  • Suporte à área de recursos humanos e contratações;
  • Emissão de documentos e boletos; cobrança e controle de recebimentos;
  • Controle dos extratos bancários do condomínio para verificação de créditos e débitos;
  • Emissão de Declaração Negativa de Débitos Condominiais para os condôminos;
  • Organização das pastas de prestação de contas;
  • Organização da folha de pagamentos;
  • Gestão tributária e pagamento de encargos previdenciários;
  • Administração do fundo de reservas;
  • Suporte jurídico em casos de processos judiciais ou cobranças por inadimplência;
  • Elaboração de balanço anual para apresentação na assembleia geral;
  • Gestão operacional (quando contratado);

4 Quais são as funções do síndico na gestão condominial?

funçoes do sindico

Já vimos tudo sobre gestão condominial, mas faltou as funções da figura mais importante: o síndico, ou o super-herói dessa jornada.

A função do síndico é fundamental para a administração.

Mesmo que uma empresa administradora execute as partes de conhecimento especializado, o sindico vai fazer a fiscalização de todo o trabalho.

Em outras palavras é seu papel (por lei) fiscalizar tudo o que ocorre no condomínio.

Vale ressaltar que, além de ser a figura mais importante, o sindico é ainda quem assume a responsabilidade civil e criminal da gestão do condomínio.

Aqui vão algumas das principais funções do sindico, segundo o art. 1348, do código civil:

  • Praticar os atos necessários na defesa dos interesses dos condôminos;
  • Convocar assembleias;
  • Cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia;
  • Prestar contas à assembleia;
  • Elaborar o orçamento da receita e da despesa relativa a cada ano;
  • Cobrar dos condôminos as suas contribuições;
  • Diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores;

Inicialmente a gestão de condomínios pode parecer difícil.

Entretanto, com o suporte de uma administradora qualificada e de confiança e com a eleição de um bom sindico, o trabalho fica mais leve e eficaz.

Dessa forma, tanto os moradores como quem faz a gestão fica satisfeito com o resultado.

No final, o que importa é o bem-estar garantido dos moradores e a certeza de que as contas estão bem fiscalizadas, ou seja, de que a coisa está em ordem.

Para saber mais sobre nosso trabalho e facilitar a gestão do seu condomínio, clique aqui para enviar um formulário de contato, ou ligue para (31) 3018-5577

Compartilhe em suas redes sociais:

Share on facebook
Share on pinterest
Share on twitter
Share on whatsapp

Inscreva-se

Receba conteúdos exclusivos em primeira mão, via email: